topbanner
Marinha Portuguesa - Instituto Hidrográfico

Rede de Monitorização MONIZEE

O Instituto Hidrográfico (IH) mantém uma capacidade de monitorização em tempo real das condições oceanográficas da costa Portuguesa através da infraestrutura MONIZEE. No presente, esta infraestrutura de observação detém estações maregráficas, boias ondógrafo, radares costeiros de alta frequência e boias multiparamétricas, distribuídas pelo território continental e insular nacional, integradas nas redes mundiais de monitorização.

O MONIZEE recolhe medições fundamentais para monitorizar e compreender quer os mecanismos de transporte ao longo da margem continental portuguesa, quer os processos de interação entre o oceano costeiro e o oceano profundo. Os pontos de observação mais junto à costa proporcionam medições essenciais para compreender a circulação e processos costeiros na área. Esta infraestrutura nacional contribui para a rede europeia de infraestruturas para as observações costeiras JERICO-RI.

O IH desenvolveu a infraestrutura de dados, o Hidrográfico+ (H+) , que permite explorar diferentes tipos de dados geoespaciais, entre os quais os dados adquiridos no MONIZEE, bem como descarregar essa mesma informação que  poderá ser consultada no geoportal https://geomar.hidrografico.pt/ ou através da aplicação para smartphone.

 

Rede Maregráfica Nacional:

A rede maregráfica nacional é composta por marégrafos de medição em tempo real com envio automático dos dados, numa colaboração entre o IH, DGT (Direção Geral do Território) e administrações portuárias. Visa recolher, analisar e fornecer informação de marés e níveis médios do mar para as mais diversas finalidades, nomeadamente: segurança à navegação, estabelecimento de níveis de referência em hidrografia, execução de projetos de engenharia costeira, investigação científica, pesca e atividades recreativas.

 

Rede de Boias Ondógrafo

Para a medição das ondas o IH utiliza boias ondógrafo, equipadas com sensores que medem a aceleração tridimensional do movimento da superfície livre do mar, o que permite obter informação relativa à altura, direção e ao período das ondas. As boias possuem ainda um sensor que permite medir a temperatura da água à superfície. Os dados adquiridos são transmitidos, em tempo real para uma estação recetora instalada em terra que realiza o cálculo dos parâmetros mais representativos da agitação marítima e retransmite os dados para o IH, onde sofre verificações e controlos de qualidade para serem depois armazenados em base de dados, disseminados e disponibilizados ao público.

 

Rede de Boias Multiparamétricas

Esta rede está assente numa tipologia de equipamentos que tem a capacidade de aquisição de dados meteorológicos (temperatura do ar, pressão atmosférica, humidade relativa, intensidade, direção e rajada do vento e radiação solar), e dados oceanográficos como agitação marítima, temperatura da água a vários níveis, dados ambientais (deteção de hidrocarbonetos e acústica submarina) e correntométricos nos primeiros 100m da coluna de água, bem como a possibilidade de colocação de outros sensores em amarração. Os dados adquiridos por estes equipamentos são enviados através de comunicações satélite para o IH, onde passam por uma verificação e controlo de qualidade para serem também guardados em base de dados e disseminados ao público.

Alguns dos parâmetros estimados da agitação marítima de ambas as redes de boias são:

  • Altura Significativa – Hs (m): Média do terço mais elevado das alturas de onda que foram registadas durante o período de observação. Corresponde aproximadamente à avaliação visual da altura das ondas.
  • Altura Máxima – Hmax (m): Máxima altura de onda registada durante o período de observação;
  • Período Médio – Tz (s): Média dos períodos observados no registo. Representa o período típico das ondas registadas durante o período de observação;
  • Período Máximo – Tmax (s): Máximo período de onda registado durante o período de observação;
  • Período de Pico – Tp (s): Período correspondente à banda de frequência com o máximo valor de densidade espectral. É representativo das ondas mais energéticas presentes no registo;
  • Direção média – THTP: Direção média correspondente ao período de pico. Representa a direção de propagação das ondas mais energéticas. É usualmente medida a partir do Norte, no sentido dos ponteiros do relógio.

 

Rede de Radares HF

Esta rede de monitorização com radares costeiros de alta-frequência (HF) tem como objetivo a monitorização ambiental e é composto pela instalação de duas, ou mais estações que permitem medir as correntes superficiais e agitação marítima numa área até 75Km da costa. O seu funcionamento baseia-se na medição da variação doppler e a intensidade do sinal retro difundido ao longo de cada azimute, a cada 5 graus, providenciando uma componente do vetor. Por junção das diferentes componentes obtém-se o vetor final da intensidade e direção da corrente. A partir deste sistema é possível obter mapas vetoriais de correntes e agitação marítima em tempo real, realizar o seguimento de manchas de poluentes e alimentar modelos de assimilação para previsão.



Rede de Monitorização MONIZEE
 2023-07-12   4003 / 4003 / 517997;