Preparação da Brigada Hidrográfica para o Levantamento Hidrográfico na Missão Mar Aberto

A Brigada Hidrográfica (BH), com uma equipa constituída por 3 elementos, está a participar a bordo do NRP Almirante Gago Coutinho (GC) na missão Mar Aberto que partiu da BNL a 31 de dezembro de 2020 e com um período de missão de um mês e meio.

Os levantamentos hidrográficos (LH) vão realizar-se em Cabo Verde e tem como objetivo obter informação hidrográfica atualizada, bem como complementar a informação batimétrica no âmbito do Projeto UNTIeD – Unlocking the mega Tsunami Deadlock:  using the near-source impacts to constrain tsunami generation by volcanic flank colapses, um projeto que propõe uma abordagem multidisciplinar para o estudo dos impactos de um dos maiores tsunamis do registo geológico: o tsunami produzido pelo colapso da ilha do Fogo, há cerca de 73 000 anos.

A BH transporta a bordo do GC a lancha hidrográfica Mergulhão equipada com um sistema multifeixe de alta resolução de baixos fundos, marégrafo, equipamentos para realizar topografia e nivelamento geométrico (NG) e uma sonda de feixe simples (SFS) para utilizar num bote.

Esta campanha tem como prioridade principal finalizar o LH iniciado em março de 2020 pela BH inserido no projeto UNTIeD, e também realizar sondagens com SFS nas baias de S. Tomé e S. Martinho na ilha de santiago. Quando atracado nos portos do Mindelo e da Praia, complementar as sondagens anteriores para a atualização cartográfica. 

A preparação da missão teve duas vertentes: uma humana e outra material. Esta preparação realizou-se em simultâneo com o necessário aprontamento sanitário aos elementos que integram a equipa (exames físicos, vacinação consulta do viajante). A nível de material, consistiu em instalar e depois testar\calibrar todos os equipamentos a utilizar na missão. Esta fase de preparação é de grande importância pelo caracter expedicionário e pelo contexto de pandemia.

No âmbito desta missão, a equipa de hidrografia é constituída pela guarnição do GC, da qual se destaca o comandante do navio engenheiro hidrógrafo, um oficial hidrógrafo chefe do serviço de hidrografia além do reforço da BH com mais um oficial hidrógrafo, um sargento hidrógrafo e uma praça para manobra da lancha hidrográfica Mergulhão. Juntamente com as capacidades hidrográficas (2 SMF de alta resolução, médios e grande fundos) e oceanográficas (Acoustic Doppler Current Profiler, Sub Bottom Profilers) do navio, com o reforço do material topo-hidrográfico da BH (SMF de alta resolução baixos fundos, topografia, NG, SFS) torna-se numa plataforma hidrográfica avançada com capacidade de sondar desde o zero hidrográfico até aos 12 mil metros de profundidade e ainda realizar todo o género de trabalhos de topografia em terra. Em resumo, o GC fica com capacidades humanas e materiais que permitem adquirir todos os dados necessário à elaboração\atualização de qualquer carta náutica em qualquer parte do mundo. Tem também capacidade de processar informação topo-hidrográfica de forma a produzir produtos finais expeditos como modelos batimétricos 3D e implantações gráficas das áreas sondadas.

  2021-01-05    25 / 24 / 63453;