Página Inicial seta A Equipa Hidrográfica de Intervenção Rápida

A Equipa Hidrográfica de Intervenção Rápida

O Instituto Hidrográfico (IH), enquanto serviço hidrográfico nacional, é responsável pela produção e atualização da cartografia hidrográfica oficial, assumindo também funções de segurança da navegação, em caso de desastre ou de catástrofes naturais, para avaliação de áreas restritas ou interditas à navegação e de eventuais intervenções para a manutenção da navegabilidade e da acessibilidade aos portos.

Para o cumprimento da sua missão, o IH dispõe de sistemas e equipamentos especializados. Com estas capacidades e meios próprios, que podem ser projetados para qualquer ponto do território nacional, o IH dá apoio às operações militares e à autoridade marítima, onde se inclui também o apoio meteo-oceanográfico. .

Nos últimos anos ocorreram várias situações de emergência em que o IH foi chamado a colaborar. Através da experiência obtida e das lições aprendidas nessas operações, foi criada uma Equipa Hidrográfica de Intervenção Rápida (EHIR), com formação, treino e prontidão para intervenção eficiente e eficaz em diversas situações. 

A EHIR, coordenada pelo chefe da Brigada Hidrográfica, é gerada a partir dos recursos existentes e constitui a componente operacional do IH para intervenções inopinadas em situações de catástrofe natural ou de emergência e no apoio às operações navais, requerendo, assim, uma elevada prontidão. Esta equipa não tem uma constituição fixa, adapta-se às necessidades específicas de cada missão, podendo incluir as seguintes capacidades:

  • levantamentos hidrográficos para a segurança da navegação e busca e deteção de obstruções (como foi o caso do levantamento hidrográfico no Porto do Funchal, após a ocorrência do aluvião, em fevereiro de 2010);
  • levantamentos com sonar lateral para a busca e deteção de destroços ou de obstruções;
  • levantamentos com magnetómetro para a busca e deteção de objetos metálicos;
  • inspeção e identificação positiva de destroços com recurso a veículos operados remotamente (ROV);
  • apoio à previsão de deriva para busca e salvamento ou para combate à poluição no mar, esta capacidade pode incluir também a utilização de boias derivantes para determinação das correntes superficiais;
  • aquisição de dados meteo-oceanográficos para apoio às operações navais e marítimas.
  • Esta última capacidade da EHIR permite complementar os dados da rede permanente de observações do IH e suportar o sistema de previsão operacional da agitação marítima, assim como a aplicação METOCMIL de apoio ambiental às operações navais e da autoridade marítima, onde são atualizadas operacionalmente previsões meteorológicas/oceanográficas, observações em tempo real e produtos geográficos.

    O IH prossegue, assim, o conhecimento do oceano e dos processos que nele ocorrem, disponibilizando esse conhecimento aos utilizadores e decisores que dele necessitam.

Fotografias da notícia