Página Inicial seta Análise da refletividade acústica na coluna de água

Análise da refletividade acústica na coluna de água

O Instituto Hidrográfico mantém o esforço na investigação hidrográfica nas áreas da sua competência, acompanhando a investigação científica sobre a análise dos dados de refletividade acústica na coluna de água.

Tendo sido uma metodologia inicialmente desenvolvida para apoiar a comunidade piscatória, na deteção de cardumes, recentemente foi expandida a outras áreas de atividade e de investigação.
Com efeito, para além da relevância que tem para os levantamentos hidrográficos e para a produção cartográfica, tendo em vista a segurança da navegação, o seu contributo estende-se à investigação científica nas áreas da Oceanografia, na identificação e análise de processos físicos na coluna de água, da Geologia Marinha, no auxílio da caracterização da geomorfologia do fundo, nomeadamente na georreferenciação de plumas e fontes termais, da Biologia Marinha, na identificação da fauna marinha e na caracterização do seu comportamento, entre outras.

No que respeita aos levantamentos hidrográficos, o contributo desta informação é importante na deteção da profundidade mínima nos locais em que há estruturas de dimensões reduzidas, como é o caso dos mastros de navios afundados, em que os tradicionais algoritmos de deteção do fundo podem não ser eficazes.

Com a recente obtenção de uma licença, o Instituto Hidrográfico passa a ter a capacidade para adquirir dados acústicos da coluna de água com os seus sistemas sondadores. Esses dados podem ser adicionados à batimetria, ou convertidos em imagens representativas do que se encontra entre a superfície e o fundo do mar. A análise da coluna de água permite a deteção de estruturas de dimensões reduzidas, a identificação de plumas e de focos de poluição por hidrocarbonetos, a caracterização de estruturas existentes na água, entre outras, abrindo desta forma novos horizontes na exploração e conhecimento das águas e do fundo do mar na plataforma continental, na costa e nas zonas portuárias.

Imagens