João Carlos Capelo (1831-1901)

João Carlos de Brito Capelo (1831-1901)

Vice-almirante. Distinguiu-se no campo da oceanografia, tendo publicado "Cartas de ventos e correntes do Golfo da Guiné" (1859), trabalho que lhe conferiu grande reputação no estrangeiro, pois foi oficialmente traduzida pelo governo francês.

Publicou também um "Guia para uso das cartas dos ventos e correntes do Golfo da Guiné" (1861). Porém, foi sobretudo na meteorologia que se salientou, tendo sido membro eleito do respectivo Comité Internacional.

Reconhecido como uma autoridade no campo da investigação astronómica, realizou importantes estudos sobre as manchas solares. Dirigiu o Observatório da Escola Politécnica, mais tarde chamado «Infante D. Luís», para onde foi como 2.° tenente para coadjuvar o Dr. Guilherme Pegado.

Trabalhou neste local 46 anos, 26 como director, entre 1875 e 1901. Fundou diversos postos meteorológicos e até alguns observatórios, como o de Luanda.

Inventou um cronogoniómetro e um anemógrafo. Sócio fundador da Sociedade de Geografia, foi igualmente sócio da Academia Real das Ciências.

Fonte: Teixeira da Silva, Reis Arenga, Silva Ribeiro, Santos Serafim, Alburquerque e Silva e Melo e Sousa. “A Marinha na Investigação do Mar. 1800-1999”. Instituto Hidrográfico, Lisboa 2001.